Menu Fechar

5/5 – Santo Ângelo, Mártir

Deste frade carmelita, diz o Martirológio Romano: “Em Licata [ou Alicata], na Sicília, Santo Ângelo, da Ordem dos Carmelitas, presbítero e mártir, trucidado pelos hereges em defesa da fé católica” em 1219.

Uma tradição muito antiga ilumina-nos sobre a vida de Ângelo. Os registos indicam que nasceu em 1185, na cidade de Jerusalém, de pais judeus, chamados José e Maria, nomes muito comuns na região; e que eles se converteram depois de Nossa Senhora ter avisado Ângelo, durante as suas orações, de que ele teria um irmão, o que lhes parecia impossível porque eram idosos, mas aconteceu. Emocionados, receberam o baptismo juntamente com a criança, à qual deram o nome de João.

Ângelo entrou para a Ordem do Carmo quando tinha apenas 18 anos e, em 1213, foi ordenado sacerdote; viveu em muitos conventos da Ásia Menor e da Palestina – nomeadamente, cinco anos no Monte Carmelo, o mesmo lugar onde viveu o profeta Elias – e recebeu muitas graças do Senhor, sobretudo o dom da profecia e dos milagres. Ainda segundo a tradição, saiu do Monte Carmelo com os primeiros carmelitas que foram para Roma a fim de obterem do Papa Honório III a aprovação da Regra do Carmelo, e depois emigraram para a Sicília.

Em Roma, ao visitar  a Basílica de São João de Latrão, Ângelo encontrou-se com São Domingos e São Francisco. Apontando para Santo Ângelo, este último disse ao fundador dos Dominicanos: “Eis um Anjo de Jerusalém, cujo nome já está inscrito no Céu, como mártir”; e, avançando, lançou-se-lhe aos pés. Santo Ângelo, reconhecendo São Francisco por inspiração divina, levantou-o e disse-lhe: “Que felicidade, Irmão Francisco, a de vos encontrar, vós que sois um homem verdadeiramente humilde, e que mereceis ter as sagradas marcas da nossa Redenção!” E os três santos uniram-se num abraço.

Na cidade de Alicata, na Sicília, havia um conde muito respeitado em todo o país, mas de vida extremamente escandalosa, pois vivia em incesto com a irmã. O santo foi ter com ele e, em particular, exprobrou-lhe a vida escandalosa, incitando-o ao arrependimento. Como isso não surtiu efeito, repreendeu-o em público, ameaçando-o com os castigos de Deus. E fê-lo com tanta energia, que até os mais íntimos confidentes do conde o abandonaram. Este jurou vingar-se.

No dia 5 de Maio, ao sair da Missa que celebrara na igreja de São Tiago, Santo Ângelo foi atacado por uns sicários do conde, que o feriram com cinco golpes de espada. Dizendo: “Senhor, em vossas mãos encomendo meu espírito”, o santo entregou a sua alma a Deus.

Como o Martirológio Romano diz que Santo Ângelo morreu às mãos de hereges, infere-se que o conde juntava a heresia ao incesto.


Foto: Antonio de Pereda [Public domain]

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

three × 1 =