Menu Fechar

4/5 – São Gregório, o Iluminador, Confessor

Apóstolo e patrono da Arménia, que lhe deu o título de Iluminador por ter extraído o povo arménio das trevas do paganismo, conduzindo-o à luz, que é Cristo, como diz São João (1, 4).

São Gregório não foi o primeiro a introduzir o cristianismo no país, pois, segundo a tradição local, os primeiros evangelizadores foram nada menos que dois Apóstolos, São Bartolomeu e São Judas Tadeu. É certo que houve cristãos, e mesmo bispos, na Arménia antes de São Gregório. De acordo com Eusébio, na sua História Eclesiástica, um Bispo de Alexandria, Dionísio (248-265), ter-lhes-á escrito uma carta sobre a penitência. Mas esta Igreja primitiva foi destruída pelos persas, e o país recaiu no paganismo.

Consta então que um parto, de nome Anac, assassinou o rei arménio Kosrov, e tentou exterminar toda a família real do país. Mas um filho de Kosrov, Tirídates, escapou, foi treinado no exército romano e voltou à sua terra, de onde expulsou os persas, restaurando o reino arménio.

Ora, segundo a tradição local, São Gregório era primo de Tirídates (+314), pois era oriundo de uma ilustre família arménia, e tinha-se tornado cristão em Cesareia, na Capadócia. Era casado e tinha dois filhos.

Acontece que Tirídates praticava a antiga religião pagã arménia e, quando descobriu que Gregório se tinha tornado cristão, prendeu-o durante 14 anos na prisão do palácio. Sendo o Rei atacado por uma doença repugnante, informaram-no de que seu primo, que estava na prisão, poderia curá-lo com as suas orações. Libertado, Gregório conseguiu que o rei recuperasse a saúde, converteu-o e baptizou-o, a ele e a toda a sua corte. Foi assim que o cristianismo se tornou a religião oficial da Arménia.

Isto aconteceu quando Diocleciano era Imperador (284-305), de modo que se pode dizer que a Arménia tem o direito de reivindicar a honra de ser o primeiro Estado cristão. Os templos foram transformados em igrejas, e os arménios baptizados aos milhares, sendo o resto do paganismo destruído.

Entrementes, Gregório voltou para Cesareia, para ser ordenado. Para além de receber a ordenação sacerdotal, o Bispo Leôncio de Cesareia sagrou-o bispo dos arménios. A partir deste momento, e até ao cisma monofisista, a Igreja da Arménia dependeu de Cesareia, e era aí que os primazes arménios (chamados catolicoi e, muito mais tarde, patriarcas) erem ordenados.

Gregório estabeleceu outros bispos em toda a Arménia, e fixou a sua residência em Astishat, na província de Taron, onde o antigo templo pagão havia sido transformado numa igreja de Cristo. Esta foi, pois, a mãe de todas as igrejas arménias.

No final da sua vida, Gregório retirou-se para a solidão, para se preparar para a morte. O santo morreu em 325, e foi enterrado em Tortan. Perto do seu túmulo, foi construído um mosteiro.


Foto: DR

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

15 − four =