Menu Fechar

26/12 – Santo Estevão, Protomártir

É de São Lucas, nos Acto dos Apóstolos, capítulos 6 e 7, que temos os dados deste herói da fé, o primeiro a dar a vida por Jesus Cristo na Nova Lei, sendo por isso chamado Protomártir.

Eis como o evangelista nos introduz este santo: “Estevão, cheio de graça e de poder, fazia prodígios e grandes sinais no meio do povo. Levantaram-se alguns da sinagoga chamada dos libertos, cirenenses e alexandrinos, e os da Cilícia e da Ásia, para discutir com Estevão. Mas não puderam resistir à sabedoria e ao espírito com que este falava. Então subornaram alguns homens que dissessem: ‘Ouvimo-lo proferir palavras blasfemas contra Moisés e contra Deus.’ Excitaram o povo, os anciãos e os escribas e, chegando, agarraram-no e levaram-no perante o Sinédrio. Apresentaram-se testemunhas falsas, que diziam: ‘Este homem não cessa de proferir palavras contra este lugar santo e contra a Lei’; e: ‘Nós ouvimo-lo dizer que Jesus o Nazareno destruirá este lugar e mudará os costumes que Moisés nos deu.’ Fitando os olhos nele, todos os que estavam sentados no Sinédrio viram seu rosto como o rosto de um anjo.

Então Estevão, num longo discurso, evocou a história do povo de Israel, terminando com esta veemente apóstrofe: “Duros de cerviz e incircuncisos de coração e de ouvidos, que sempre resististes ao Espírito Santo. Como os vossos pais, assim também vós. Que profeta vossos pais não perseguiram? Mataram os que anunciavam a vinda do Justo, de quem agora vos tornastes traidores e assassinos, vós que recebestes por ministério dos anjos a Lei, e não a guardastes.”

Ao ouvirem estas palavras, exasperaram-se nos seus corações e rangiam os dentes contra ele. Mas ele, cheio do Espírito Santo, tendo os olhos fixos no céu, viu a glória de Deus e Jesus à direita de Deus, e disse: “Vejo os céus abertos, e o Filho do Homem em pé, à direita de Deus.” Então os judeus, “gritando em altas vozes, taparam os ouvidos, e todos juntos lançaram-se sobre ele. Empurrando-o para fora da cidade, apedrejaram-no.”


Foto: Annibale Carracci [Public domain]

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *