Menu Fechar

12/3 – Santo Inocêncio I, Papa e Confessor

Pouco se sabe sobre a vida deste Papa, nascido no século iv, antes de ser eleito para a Sé de Pedro. Segundo o Liber Pontificalis, nasceu em Albano, e seu pai chamava-se Inocêncio. Cresceu entre o clero romano e no serviço à Igreja. Nesse tempo, governava a nave de Pedro o Papa Santo Anastácio I, romano por nascimento, que ascendera ao pontificado em 399. Lembrado principalmente pela sua condenação do origenismo, contava entre os seus amigos Santo Agostinho, São Jerónimo e São Paulino. São Jerónimo fala dele como de um homem de grande santidade, que era rico na sua pobreza. Viveu no tempo das invasões bárbaras e governou a Igreja apenas quatro anos.

Depois da morte de Anastácio, em Dezembro de 401, Inocêncio foi unanimemente escolhido para lhe suceder.

O novo Papa foi um ardoroso defensor das prerrogativas papais, assegurou ao Bispo de Tessalónica a preeminência sobre os outros bispos da Ilíria oriental, continuou a obra de São Cirício na organização da disciplina eclesiástica (celibato eclesiástico, administração dos sacramentos e jurisdição dos sínodos provinciais), procurou, embora em vão, estabelecer a paz entre o Imperador Honório, que era um homem fraco, e Alarico, Rei dos godos, e interveio em favor de São João Crisóstomo, que estava exilado.

Quando cinco bispos africanos, entre eles Santo Agostinho, escreveram uma carta a Inocêncio a propósito das posições deste em matéria do pelagianismo, Inocêncio elogiou-os porque, respeitando a autoridade da Sé Apostólica, tinham apelado ao Papa. O Pontífice rejeitou os ensinamentos de Pelágio, e confirmou as decisões tomadas pelos sínodos africanos.

Foi durante o seu pontificado que ocorreu o cerco e a captura de Roma pelos godos, chefiados por Alarico (408-410). Quando o líder bárbaro declarou que só retiraria se os romanos lhes apresentassem uma proposta de paz que lhe fosse favorável, uma embaixada de romanos da qual fazia parte o Sumo Pontífice foi a Ravena falar com o Imperador Honório, pedindo-lhe que fizesse a paz com os godos. Porém, apesar de todos os seus esforços, Inocêncio não foi ouvido e os bárbaros recomeçaram o cerco de Roma, de modo que o Papa e os outros embaixadores não puderam retornar à Cidade Eterna, que foi tomada e saqueada em 410.

O Papa Inocêncio faleceu no ano de 417, e foi sepultado numa basílica sobre a catacumba de Ponciano, sendo desde logo venerado como santo. Foi um homem muito enérgico e activo, altamente dotado como governante, que cumpriu admiravelmente os deveres do seu ofício.


Foto: Artaud de Montor (1772–1849) [Public domain]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *