Menu Fechar

A Providência, que abate com uma mão, ampara com a outra

A Providência Divina tem seus caminhos, imperscrutáveis para os que não têm fé. Às vezes parece provar desproporcionadamente pessoas que fazem tudo para Lhe serem fiéis e andar nas suas vias. Foi o que sucedeu com uma piedosa família de nove filhos cuja casa foi devorada por um incêndio, ficando todos na rua da amargura.

A família de David Goodwin, residente em Wynnum, na região de Brisbane (Austrália), é muito conservadora. Segue em tudo a doutrina tradicional da Igreja, procurando que sua numerosa prole trilhe o mesmo caminho. Além dos nove filhos, perderam quatro, que não sobreviveram. Eles se vestem de acordo com a modéstia cristã, não têm televisão, videogames, smart-phones, tabletes ou dispositivos musicais pessoais. Nem mesmo celulares conectados com as redes sociais.

Isso é totalmente incompreensível para o homem do século XXI. Contudo, o casal David e Belinda — ela uma médica de 43 anos, ferrenhamente contrária ao aborto e a outras aberrações do mundo moderno — se comprometeu a resistir às “pressões modernas para dar esses modernos dispositivos aos filhos, porque eles não somente podem ser daninhos e perigosos para as crianças, mas também desnecessários”, afirma Belinda. Ela acrescenta que “sem televisão, as crianças não vêem muitas formas imorais em que vivem as pessoas [hoje em dia]; e, pelo contrário, passam seus anos mais formativos sendo instruídos por nós no que está bem, evitando o mal. Não estão assim expostas às imagens ou comportamentos inapropriados que seus olhinhos inocentes simplesmente não deveriam ver”.

Muita gente se esquece de que antes de todos esses aparelhos modernos existirem, as famílias viviam muito bem, desfrutando do convívio familiar e dos mais próximos. Os filhos, geralmente numerosos, eram muito unidos e praticamente bastavam a si mesmos. O que explica que os filhos dos Goodwin aceitem alegremente essas aparentes limitações, não se importando sequer com a pressão dos companheiros de escola. Pois, diz a mãe, “eles são os melhores amigos um dos outros, tanto que o maior problema é fazê-los ir para a cama, pois ficam despertos até tarde conversando animadamente todas as noites”.

Muitos perguntariam como essas crianças empregam seu tempo sem esses dispositivos modernos. Elas têm muitas actividades, pois se ocupam com “uma combinação de estudo, violino, balé, jogo de rugby, debates e actividades extra-escolares”. Passam o tempo “brincando ao ar livre, lendo um bom livro, falando ou jogando”. Convém ressaltar que esse bom hábito da leitura, que está desaparecendo, sobretudo entre os jovens, entretém e ajuda a formação. De onde ser necessário para os Goodwin ter uma biblioteca “com uma grande selecção de livros”. Quer dizer, livros escolhidos a dedo, para não corromperem a fé e a moral, e ajudarem não só a distrair, mas a formar o carácter. O mais importante é que “nossos filhos vão à Missa, rezam o Rosário com a família diariamente, frequentam regularmente (o sacramento da) confissão, e visitam (Jesus no) Santíssimo Sacramento”.

Tudo nessa família é feito com conta, peso e medida: “Os filhos maiores têm endereço de correio electrónico, principalmente para o trabalho escolar. Com excepção de Tom [o mais velho], que terminou a escola, os outros meninos não estão nas redes sociais”.

Esses conscienciosos pais ensinam seus filhos “a serem fortes, líderes, a sempre defender o que é certo, ainda que ninguém mais o faça”. Mas para isso, como afirma Belinda, “preciso ser para eles um exemplo vivo do que é certo, desde a maneira como me visto, falo, atendo às questões que contam”. E para isso, “rezo regularmente a Deus para que me ajude a ser uma mãe e esposa melhor, pois tenho meus defeitos”.

E acrescenta: “Eu criei o hábito de rezar para que se cumpra a vontade de Deus em minha vida e na vida de minha família […], pois é ao fazer a santa vontade de Deus que seremos mais felizes. Minha força para ser mãe e esposa está firmemente ancorada em Cristo, em Nossa Santíssima Mãe Maria e nos ensinamentos da Santa Igreja Católica. Nosso trabalho é levar nossos filhos para o Céu, e isso requer paternidade intencional.”

Como resultado dessa educação genuinamente católica, Tomás, o primogénito, de 17 anos, “é um grande exemplo para os outros filhos”. “Ele se tornou um homem de carácter e moral forte, e David e eu estamos muito orgulhosos dele”. “Assiste à missa e vai à confissão durante a semana, bem como com a família aos domingos.” Tendo completado seus estudos intermediários, trabalha e estuda Artes Liberais. E, como seus irmãos, reza o Rosário todos os dias.

O INCÊNDIO QUE NÃO DESTRUIU A FAMÍLIA

A casa dos Goodwin em Wynnum dava para a costa, na pitoresca Waterloo Esplanade.

Tudo começou numa tranquila tarde de Setembro por volta das 14h15, quando a Sra. Goodwin descansava em seu quarto e oito de seus nove filhos desfrutavam um dia livre sem escola, divertindo-se entre si. Cinco deles estavam num quarto ao lado, as duas meninas mais novas com a mãe, e um dos meninos maiores no porão, rezando o terço. O filho mais velho e o pai, David, estavam trabalhando.

De repente, as crianças notaram que um fogo irrompera entre a parede dupla que separava os dois quartos. É preciso dizer que na Austrália, como nos Estados Unidos, geralmente as divisões internas das casas não é de alvenaria, mas de placas de gesso e papelão revestidas com material isolante, por onde passa a fiação eléctrica. Possivelmente um curto-circuito provocou o incêndio.

Assustadas, as crianças correram para acordar a mãe. Quando Belina entrou no quarto vizinho, viu que o fogo estava se alastrando. Agarrou os filhos menores e gritou para os outros descerem rapidamente escada abaixo, em direcção à rua. “Eu levei as crianças para o outro lado da estrada e, quando olhei para trás, todo o andar de cima havia sumido”, disse ela.

Em poucos minutos eles ficaram reduzidos à roupa do corpo, e a dois pares de sapatos para toda a família, pois as crianças brincavam descalças.

O Sr. Goodwin estava em uma reunião na cidade quando recebeu uma ligação de sua filha comunicando-lhe que a casa estava pegando fogo. Sua primeira reacção foi dizer: “Certifique-se de que as crianças estão fora, e conte-as uma por uma”. Depois insistiu meia dúzia de vezes para que ela contasse novamente os irmãos. Ligou também para o filho que estava no trabalho, pedindo-lhe que fosse com urgência para casa, também se certificasse de que todas as crianças estavam a salvo.

Chegando em casa, o aflito pai comentou: “Você anda na rua, de um lado está a casa queimando e do outro a sua família”. E conclui: “Em uma fracção de segundo você vê o que é realmente importante!

A família perdeu muito no incêndio — relíquias de família, jóias, roupas, livros, mochilas escolares, uniformes, sapatos, violinos, aparelhos domésticos, cartões de crédito...

A MÃO DA PROVIDÊNCIA

Mas a Providência Divina, “que abate com uma mão, ampara com a outra”. Como a família Goodwin era muito querida, uma onda de apoio da comunidade veio em seu auxílio. Em poucas horas, o povo de Wynnum, a comunidade católica e a família lhes forneceram “uma loja inteira” cheia de produtos úteis: sofás, geladeiras, lancheiras, livros e bolsas. O professor de música providenciou todos os violinos para os músicos iniciantes.

Emocionada, comenta a Sra. Goodwin: “Esta é a primeira vez que vejo uma bondade enorme e avassaladora [...] pessoas que tinham muito menos do que nós nos dando tanto.”

Para ela, as crianças reagiram bem ao incêndio. Notou que o fogo mudou até mesmo a forma como elas passaram a praticar a sua fé: era a “hora extra” “de adoração ao Santíssimo ou missa, o tempo extra de oração”, disse ela. “Se um de nossos filhos estiver melhor na vida, mantendo sua fé como consequência disso, faríamos tudo de novo amanhã”, afirmou agradecida Belinda Goodwin.Os Goodwins foram passar o Natal em Toowoomba, com a família do marido. 

David comentou que, nesse Natal, era importante lembrar em frente ao presépio, pois “Deus não entrou em uma família rica, Ele veio em uma muito pobre”. “E durante todo o caminho, José e Maria foram providos; eles tinham de dar um passo constante na fé, e é isso que eu acho que os católicos devem fazer”. E acrescentou: “Acho que devemos perder muitos de nossos luxos e de nosso materialismo. “Quando você passa por um desses (eventos da vida), é um lembrete muito rápido e fresco do que realmente importa”. Quer dizer, viver como bons católicos, com a convicção de que “Deus provê, Ele realmente provê.” E assim foi, pois em três semanas a família conseguiu encontrar um aluguel adequado para nove filhos.


Fonte: Blog da Família [ https://blogdafamiliacatolica.blogspot.com/2022/01/a-providencia-que-abate-com-uma-mao.html?spref=fb&fbclid=IwAR23cMBwHBZe28Mw-CwhWZdayKNbPkEIAe-WrjZ6VCNrdGPZeUWhOtpt3oo ]

Intentional parenting in the way of God, how nine brothers and sisters become ‘the best of friends’ by Selina HYPERLINK "https://catholicleader.com.au/author/selina-venier/" HYPERLINK "https://catholicleader.com.au/author/selina-venier/" HYPERLINK

"https://catholicleader.com.au/author/selina-venier/"Venier. 26 March 2019 - Updated on 1 April 2021

https://catholicleader.com.au/news/qld/family-of-11-escapes-house-fire-by-the-grace-of-god/

Family of 11 escapes house fire by the grace of God by Joe Higgins. 25 December 2021

https://catholicleader.com.au/news/qld/family-of-11-escapes-house-fire-by-the-grace-of-god/

Esta familia de 9 hijos escapó del incendio de su casa: una gran lección magistral de la Providencia. J.L. / ReL 11 enero 2022. https://www.religionenlibertad.com/vida_familia/567372339/familia-goodwin-hijos-incendio-providencia.html?eti=3048#%23STAT_CONTROL_CODE_3_567372339%23%23

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

fourteen + 3 =