Menu Fechar

7/11 – São Vilibrardo, Confessor

São Vilibrardo ou Wilibrordo nasceu, segundo uns, em Northumbria, na Irlanda, em 658, e morreu em Echternach (o actual Luxemburgo), a 7 de Novembro de 739; segundo outros, nasceu no berço nobre dos Kents, na Inglaterra meridional, em 658. Essa casa real inglesa forneceu, a partir do século iv, uma grande quantidade de santos fundadores à Igreja da época, incluindo o pai de Vilibrardo, São Vilgide.

Aos cinco anos, seu pai consagrou-o a Cristo, e entregou-o aos beneditinos do Mosteiro de York, onde foi educado. Ainda jovem, demonstrou ter vocação religiosa, dando preferência à vida de reclusão. Aos vinte anos, seguiu para a Irlanda, a pátria dos monges, para aperfeiçoar os seus conhecimentos teológicos. Pouco antes de completar os trinta anos, recebeu a ordenação sacerdotal.

Segundo Alcuíno – grande auxiliar de Carlos Magno na tarefa de instruir e reformar a corte e o clero gauleses –, “durante cinquenta anos este grande missionário e grande amigo de Cristo dedicou-se, dia após dia, à conversão dos infiéis”.

Com efeito, em 690, juntamente com outros onze companheiros missionários, foi evangelizar as regiões no norte da Europa, povoadas pelos bárbaros pagãos. O ponto inicial deste movimento foi a Holanda, a antiga Frísia, onde Pepino de Herstal – mordomo do palácio do rei franco da Austrásia, e depois também da Neustria e da Borgonha –, que era cristão, os acolheu muito bem. Esse reino tinha acabado de anexar um território anteriormente dominado pelo duque pagão Ratbodo. Era um lugar selvagem, onde os habitantes não aceitavam o Evangelho, e por isso território de missão.

Vilibrardo desejou ir evangelizar a região, mas primeiro quis receber a aprovação e a bênção do Papa Sérgio I, ao qual tinha muita devoção. Em Roma, conquistou o apoio do Pontífice e recebeu algumas relíquias de santos mártires, para serem colocadas nas igrejas que seriam construídas durante o processo de evangelização.

Sendo um grande organizador e um excelente líder, São Vilibrardo fez imediatamente muitos progressos na evangelização. Cinco anos depois, voltou à Cidade Eterna e entregou ao mesmo Papa um relatório com os resultados que alcançara. O Papa, em agradecimento, consagrou-o Bispo de Utrecht, e acrescentou ao seu nome um outro, de origem latina: Clemente.

Ao chegar à Holanda, Vilibrardo fundou em Utrecht a primeira sé episcopal, onde construiu a Catedral do Santíssimo Redentor. Depois, na condição de primeiro bispo, constituiu uma equipa de bispos auxiliares, conseguindo importantes conversões naquele território. São lendárias e inúmeras as viagens que fez pelo Rio Reno em direcção à Dinamarca e à Holanda.

Quando Pepino, o seu protector, morreu, parte das terras da Holanda voltou para o domínio do pagão Ratbodo. Por isso Vilibrardo teve de sair de cena, indo refugiar-se no mosteiro que fundara em Trèves, a pouca distância daquele local. Quando Ratbodo morreu, retomou a sua missão. Nessa ocasião, contou com a ajuda do sobrinho, Bonifácio, outro grande missionário que a Igreja incluiu no seu livro de santos. De maneira que Vilibrardo pôde ver o cristianismo consolidar-se no norte da Europa.

São Vilibrardo morreu no seu Mosteiro de Echeternach, construído nas margens do Reno, em 7 de Novembro de 739, já bem idoso. A Igreja canonizou-o como o “apóstolo dos frísios”. A sua festa ocorre no aniversário da sua morte e é uma das mais celebradas em toda a Holanda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *